A minha provecta idade faz-me recordar com frequência episódios do passado, pessoais e não só, mas geralmente felizes. Nasci no seio de uma família bem estruturada e fui a última de cinco filhos. Apareci de surpresa, sem ser esperada e, por essa razão, muito mimada, alvo de muitas atenções e super-protegida por uma empregada da… Read More


Estávamos no Alentejo em 1948.  Certo dia, brincava eu com as meninas da minha idade, juntando algumas pedrinhas e começando a atirá-las para a ribeira que passava perto de nós só para ouvirmos o som que faziam ao bater na água. Assim nos íamos divertindo. Mas, a certa altura, uma das meninas tirou algumas pedrinhas… Read More


A aldeia onde nasci, situada na Beira, era como a maioria das aldeias de Portugal. Naqueles tempos, anos 40 do século passado, vivia-se com muitas dificuldades e havia fome. Os homens dedicavam-se à agricultura de subsistência, trabalhando nos campos de sol a sol para puderem angariar o sustento da família. Por vezes, “vendiam” os dias… Read More


Ai que saudades dos Natais da minha infância na aldeia, que agora já se chama Vila de AMARELEJA. Ai que saudades dos jantares em família. Não costumávamos comer bacalhau. Ai que saudades da noite de Natal. Ai que saudades da minha família que já não está cá. Na noite de Natal, na minha casa, a minha… Read More


A pedra danada Manda o professor que eu invente um texto em que a palavra “pedra” fique destacada. E eu, olhando para as recordações do baú da minha já longa história, deparo logo com uma pedra malvada que um dia estragou o meu dia. Nem tudo são conquistas, êxitos e glórias no nosso viver. Também… Read More


Da minha infância tenho muitas e boas recordações. Esta é de facto uma fase especial da vida. Era uma alegria ver a minha avó preparar-se para cozer o pão – a broa. Peneirava a farinha para a gamela, juntava-lhe o fermento, o sal e ia adicionando a água quente para amassar; de seguida, polvilhava a… Read More


Sempre vivi na cidade e não me foi dada a oportunidade de conhecer a beleza e importância da tradição e costumes das diferentes regiões do nosso belo país. Ao ouvir os meus colegas relatarem experiências e acontecimentos vividos por eles, nomeadamente nas Beiras, fico triste e lamento a minha ignorância. Setúbal era nos anos 40… Read More


NOTA: Redigir as informações colhidas na aula após uma longa conversa é um exercício bem aliciante. Foi com gosto que este texto apareceu. A conversa andou à volta de um aluno, o Amadeu Afonso. O resto foi passar a escrita a muita informação recolhida. AH Olhar para a minha história é um exercício interessante. Dá… Read More


(NOTA: A Lucinda respondeu ao apelo do professor!) Vivi sempre na cidade, mas tinha amigas que viviam no campo e que tinham terras de lavoura. Gostava de ver tratar a terra, fazer as sementeiras, cultivar as hortas com os legumes, semear, plantar, colher… Sempre gostei de ter conhecimentos disso. No tempo das azeitonas, via muitas pessoas… Read More


Nasci no Alentejo, mas, muito nova ainda, fui viver para Setúbal com pais e irmãos. O azul do rio Sado, o verde da serra da Arrábida e o cheiro doce das laranjeiras em flor foi o cenário que me acolheu e embalou, mimando a minha infância e juventude. Tudo corria bem, era feliz. No entanto,… Read More