18/11/2016  –   Cá estamos nós! 

Hoje, apresenta-se o blogue da “Oficina de Português”, uma disciplina ao lado das outras 120 que constituem o lote das ofertas formativas da Unisseixal neste ano lectivo. Com a possibilidade de este blogue ficar alojado no domínio da Unisseixal, queremos significar que é integrado neste projecto formativo que nós existimos. E é também graças à liberdade com que aqui se trabalha e aos óptimos colaboradores da Unisseixal no domínio das técnicas internáuticas que este blogue é possível. Um obrigado especial ao casal Luísa e Agostinho Bernardo e seu filho Samuel, que tanto fazem na sombra! Bem-hajam mesmo!

Este meio de comunicar nasceu da vontade expressa do professor, que há algum tempo embarcou na linguagem dos blogues e neles vê uma interessante ferramenta para registar a vida que vivemos, a sua energia e as novidades que enchem os nossos dias. Sim, que nós ainda não morremos…

Uma segunda razão tem a ver com a importância de publicitar o que se faz de bem e de bom por aí fora, em contraponto com o muito de mal que enche as redes sociais. Diga-se ainda com clareza que aquilo que se passa nas nossas aulas pode não ser brilhante, mas enche-nos de orgulho por vários motivos: 

– durante hora e meia por semana, sentimo-nos jovens a aprender, a conversar animadamente uns com os outros, a criar relações sociais, a ouvir o nosso nome na boca de outros;

– estamos a lembrar o que já tínhamos aprendido ou a perceber melhor a riqueza da linguagem, da comunicação oral e escrita que usamos sem grandes dificuldades;

– estamos ainda a tentar escrever melhor, a usar melhor as regras gramaticais e naturalmente a produzir textos, de muita ou pouca qualidade, mas que são o produto desta Oficina de Português. Pela escrita, mais claras ficam as nossas ideias, o que já é muito.

Mas que fazer com estes produtos? Arquivá-los? Não! 
Eles merecem aparecer à luz do dia, em sinal de vida e como exemplo e estímulo para todos aqueles que a eles tiverem acesso. 

Por isso, vamos começar. Aos meus alunos, colegas desta viagem, digo que não tenham medo, não tenham vergonha, pois vocês são pessoas únicas, diferentes de todos e devem apresentar-se como são, mas sempre com o fito de serem melhores, tal como crianças que sempre tentam levantar-se depois de mais uma vez falharem o equilíbrio. Tal como um desportista, só tentando muitas vezes conseguimos melhorar os nossos resultados.
Bom trabalho. Com um grande abraço do 

António Henriques (professor) – 18/11/2016