Também tenho a história de uma pedra. Pela Páscoa, há cerca de três anos, estando no Algarve, resolvi ir ao cerro da Cabeça, um cerro próximo da aldeia de Moncarapacho, em cujo local há muitos penedos. Fui matar saudades, pois em jovem, eu, minha tia e primas íamos lá comer o folar na segunda feira… Read More


Ainda as aulas não começaram e já recebi colaboração de aluna!   Eu sempre tive fascinação pelos maias, não “os Maias” de Eça de Queiroz,  se bem que tivesse gostado do romance. Refiro-me ao Império maia e se eu tivesse tido possibilidades de ter estudado, seria Arqueologia. Civilização maia. O povo maia habitou a região… Read More


Anterior à ocupação romana, cujas populações já conheciam a metalurgia do ferro, terá sido integrada no território nacional aquando das conquistas feitas aos mouros pelos nossos primeiros reis. O seu nome, segundo vários autores, terá sido originado pelos colos, isto é, desfiladeiros numa sucessão de pequenos montes, como linha de separação que opõe a charneca… Read More


Seguindo as “pegadas” da minha amiga  e colega Lourdes Martins, algarvia de gema, resolvi falar de férias. Que, diga-se em abono da verdade, são uma espécie de seca para mim. Porém, constitui um oásis no deserto da minha solidão ir alguns dias para o sul. Alentejana da diáspora, tive  a sorte de vir viver para… Read More


Bem longe estava eu de pensar que esta palavra saía da aula e ia dar uma volta tão grande. Pois a Valéria quis acrescentar novidades à conversa e enviou-me, via email, este texto acerca da palavra “cantor” na sua terra. Publico o seu texto sem tirar qualquer erro ou acrescentar alguma vírgula. Na aula, tudo… Read More


Num velho palácio arruinado à Rua do Esquível é que funcionava a Escola do Magistério de Beja. Naquele velho palácio, havia uma cave ampla onde os rapazes passavam os intervalos. Nós, as meninas, passávamo-los no 1º andar, como era apanágio do sistema educativo vigente… Sinais dos tempos e das mentalidades. O João, que vinha do… Read More