Desde muito novo me habituei a ler. Tive a sorte de ter um pai que, apesar de não ser muito letrado, desde cedo me incentivou e me ensinou a ler e escrever. Tinha seis anos, já lia nos jornais. Lembro-me que quando ia fazer recados à minha mãe, a uma mercearia, a dona da casa,… Read More


Não queres escrever? Então escrevo eu as respostas que deres às minhas perguntas… Ora aqui está o que fizeram a Vitória e o Amadeu, ela mais propensa a usar a caneta e ele a gostar mais da oralidade! Tudo bem. Sai agora uma entrevista. AH   1 – Em que idade aconteceu a tua relação com… Read More


A minha relação com a  leitura A aprendizagem dos mecanismos da leitura foi para mim uma benesse e um refúgio. Desde logo senti o seu fascínio, o qual acompanha e preenche algo de muito importante  na minha vida… E não a iniciei na escola. Passei muito tempo da minha infância em casa do avô Generoso.… Read More


Nunca fui um leitor muito assíduo. Na meninice, passada no campo, não nos era permitido perder tempo, havia sempre alguma coisa para fazer. Assim, esse gosto pela leitura foi sempre adiado. A escola primária nunca me incutiu esse prazer e nem na Escola Preparatória se ensinava a ler. Íamos aprendendo à força…. Hoje sempre vou… Read More


O drama de Joaninha e Carlos Almeida Garret, ilustre prosador, poeta, dramaturgo, orador, par do reino e ministro, cuja vida decorre no séc. XIX, num dos períodos mais agitados da vida portuguesa, tem uma obra literária grandiosa. Entre impressões de arte, paisagens e costumes, escreve “Viagens na minha terra” e vai tecendo uma novela sobre… Read More


1.º – Tolstoi escreve magistralmente, num livro de poucas páginas, o percurso de vida de Ivan, um homem com sonhos, com ambições, mas cuja realidade não vai corresponder aos seus desejos. 2.º – Desiludido, resolve ir para o campo, para a casa do sogro, mas sente-se angustiado. 3.º – Tolstoi descreve aqui a vida com… Read More


Vou tentar escrever um pouco sobre a vida e morte deste senhor. Na verdade, ele conseguiu mostrar o que é uma pessoa ambiciosa e um pouco desequilibrada. Ele sempre pensou chegar mais longe em matéria de trabalho. Mas, na minha óptica, a sua ambição para mostrar aos outros que era uma pessoa importante fê-lo esquecer… Read More


RESUMO Ivan Ilitch, funcionário judicial russo, sente-se triste e revoltado com a sua situação profissional. No seu entender, está a ser subaproveitado, preterido por colegas com menos qualificações e até se sente humilhado. Com um vencimento de 3500 rublos, manifestamente insuficiente para as despesas correntes, contrai dívidas e vê o ambiente familiar degradar-se. Gostaria e… Read More


A MORTE DE IVAN ILITCH I – Ivan sente-se triste e revoltado Numa pequena cidade russa viveu IVAN ILITCH, juiz, que se considerava brilhante. Nas novas nomeações para o Ministério, sentia-se seguro, o seu lugar não iria estar em risco, considerava-se irrepreensível. Quando surgem novas nomeações, o lugar que desejava passa a ser ocupado por… Read More


NOTA: Um caso literário que passa a narração histórica. E porque não? AH Ivan Ilitch, o segundo filho de Iliá Tefúnovitch Golvin, desde a infância sentia-se atraído pelas pessoas que ocupavam posição elevada na sociedade; “tal como as mariposas pela luz”… Tentava forçar relações amistosas com elas. Na vida académica praticou algumas ações que suscitavam nele… Read More