Ai a gula!

Não sou gulosa, mas não resisto a um bom pastel de nata.
A conselho médico, evito o sal e o açúcar. Mas, há dias em que as circunstâncias da vida me deprimem sem piedade e então procuro uma compensação que afaste pensamentos negativos e me obrigue a reagir.
Naquele dia, olhei o espelho de manhã e não gostei da cara que vi, nem do cabelo nem da roupa e decidi ir comprar dois pastéis de nata para curar a neura. Era uma compensação barata e eficaz.
Voltei a casa ligeirinha, preparei a mesa com o equipamento necessário para o banquete e polvilhei os bolos ainda quentinhos com muita canela para ficarem mais apetitosos.
Dei a primeira dentada com tanta sofreguidão que, ao aspirar a canela, me engasguei, tossi, espirrei e quase sufoquei.
Levei muito tempo a recompor-me, porque afinal o que deveria tornar os pastéis um prazer especial não era canela, mas sim noz moscada! Os frascos dos dois condimentos são semelhantes e têm as tampas da mesma cor.
A compensação virou pesadelo! A gula não compensa…

Maria Irene Veiga

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.