Soneto da exposição

De surpresa em surpresa! Na visita à exposição do artista Nelson Ferreira no mosteiro da Batalha, fomos acompanhados pelo casal Amadeu e Maria Vitória Afonso. E não é que, ao enviar-lhe o meu texto, a Vitória respondeu com mais um soneto a abrilhantar esta visita à exposição?! Partilhamos gostosamente esta “Partilha” com todos vós, pelo …

Duas exposições

De vez em quando, surge o inesperado nos nossos dias. E eles enchem-se de uma energia que nos arrasta para momentos especiais, pegando em nós e levando-nos para longe em busca de um prazer espiritual inusitado. Aconteceu há pouco. Por influência dos filhos, soubemos de duas exposições de arte do amigo Nelson Ferreira, uma no …

Análise de um livro

Acabo de ler o livro do meu amigo João Pires Antunes, intitulado “Tradição e Paisagem – Penha Garcia”, edição de autor de outubro de 2021. Conheço razoavelmente o João por leitura de textos anteriores e, por isso, sabia à partida o estilo de escrita, a visão geral sobre o mundo e mesmo o seu envolvimento …

ALZHEIMER

I Capítulo A doença do Alzheimer tem comportamentos comuns com a doença de arteriosclerose, no caminho da demência. Registe-se: o Alzheimer é uma doença inscrita nas patologias da demência e, é percebida como sendo aquela que configura uma maior agressividade patológica. Não se apresenta com uma sintomatologia regular, é incurável, embora algumas das terapêuticas atuais …

Problemas do “se”

O Zé Maria Lopes continua a trazer novidades e interesse ao blogue. Obrigadinho, amigo! AH  Li há dias num jornal diário esta simples notícia: “Na edição de ontem imputámos, erradamente, a responsabilidade de falta de médicos no concelho de Peniche à ARS de Lisboa. Apresentamos as nossas desculpas a Rosa Marques e aos leitores”. Este comunicado, saído …

Donos do Mundo

Um grito profundo contra a irracionalidade das guerras. Obrigado, São Tomé! AHDentro de mim coabitam em dualidadeO silêncio explodindo num trovão,A catapultar a voz da minha razãoAos vastos campos da irracionalidade.Que caminho percorre a humanidadePelo frágil planeta, quase moribundo.Porque não se chega à consensualidadeDe que ninguém é dono do mundo?O logro existe no silêncio dos …