Melhorar um texto

Caros amigos
Muitas vezes fizemos nas aulas exercícios de correção dos vossos textos, com proveito para todos, pois era um processo prático de relembrar as regras básicas.
Nunca trouxe para aqui uma dessas aulas, mas hoje lembrei-me de apresentar um texto anónimo, que me vai permitir lembrar algumas dessas tais regras essenciais para uma boa apresentação escrita.
No texto seguinte, há 12 vírgulas mal colocadas, que eu sublinhei para mais bem se encontrarem. E ainda vou chamar a atenção para outras questões.

AH

Equipamentos Tecnológicos

Nos tempos atuais, a grande maioria dos cidadãos, (1) sofre(m) (2) dependências do efeito das tecnologias, sistemas que distribuem muita informação por todo o mundo e a toda a humanidade. (3)
Mas os nossos jovens já nasceram nessa época das velocidades e seria difícil encarar a vida na ausência desses recursos. Logo ao abrir os olhos, sofreram a influência do contexto tecnológico, como meios indispensáveis, tão necessários como o seu próprio respirar.
Quase todas as pessoas, independentemente das suas faixas etárias, apresentam o mesmo comportamento.
Os telemóveis circulam em todas as mãos, tornando-se imprescindíveis na vida do ser humano. De hoje em dia (4), a maioria dos homens, não consegue(m) estar (5) distantes dos seus telemóveis, pretendendo tê-los constantemente presentes. Se tal acontece, sentem um grande vazio, pensam que a resolução dos seus problemas se processa num quadro pouco fiável. Sentem-se perdidos no mundo, impacientam-se se lhes falta esse caudal de informações, que momentaneamente, vão (6) desaguar na sua sede de conhecimento.
Sem se aperceberem, lentamente, vão caindo numa situação de vício, de escravatura e dependência!
Em verdade, pessoas há, que, (7) desde que se levantam até se deitarem, passam horas seguidas com os olhos colados no ecrã e ávidos em consumir todo o tipo de informação. A atração e fascínio atingem níveis que os torna incapazes de assumirem uma posição crítica e descartável, isto é: separar o trigo do joio.

Em função dessa forma de vida, infere-se, que (8) outros tipos de preencher as lacunas do tempo, (9) perderam o seu real valor, logo, são relegadas, (10) para uma posição não elegível, (10) na sua lista de opções. Noutros tempos, não muito longínquos, era habitual as pessoas, mais ou menos novas, trazerem na mala um livrinho, que iam lendo nos transportes coletivos. Hoje, as pessoas, substituíram (11) o livro pelo telemóvel.
Nos comboios, assim como em outros meios de transporte, as pessoas ignoram plenamente os companheiros de viagem, mesmo que ocupem um lugar ao seu lado! Não há uma troca de palavras ou sorrisos, ingredientes indispensáveis para recriar um ambiente fraternal, humanamente saudável. A comunidade está a pisar o tapete da indiferença, por ela tecido, fechada no seu invólucro de fanatismo patologicamente exagerado.
Os exageros assumidos, atingem (12) sempre um patamar perigoso, que se reflete na família e conduz à indiferença e ao afastamento. Também se reflete nas amizades, distanciando os amigos, diminuindo os convívios e promovendo uma cultura de alheamento. Gestos simples, como troca de abraços, apertos de mão, deixaram de ser um lugar comum, que, apesar da sua simplicidade, tinham um efeito muito profundo no lado sentimental. Tais sinais de modernidade, foram (12) agora enriquecidos por questões de sanidade (pandemia) por práticas de afastamento obrigatório, que vieram tornar mais visíveis os laços de indiferença entre seres humanos. O mundo de fraternidade e paz, foi (12) consumido por uma tragédia que afetou o coração de todo o mundo.

 

ANOTAÇÕES
1 – Não pode haver vírgula a separar o sujeito (a grande maioria dos cidadãos) do predicado (sofre dependências…)
2- O verbo concorda com o nome principal (a grande maioria), por isso fica no singular (sofre).
3 – Aqui há uma tautologia - Repetição inútil da mesma ideia em termos diferentes.

 

4 - (é melhor dizer “Hoje em dia” ou “Nos dias de hoje”)

5 – Aqui repetem-se os mesmos erros 1 e 2. (VER ACIMA)

 

6 – Este advérbio (momentaneamente) está tão ligado ao verbo que não se pode separar dele por vírgula. Ele até pode saltar para depois do verbo – “vão momentaneamente…”

7 – Esta vírgula deve passar para a frente do “que”. Entre vírgulas deve ficar a informação complementar (“desde que se levantam até se deitarem”), pois a informação essencial é: “há pessoas que passam horas… seguidas etc…”

8 – Infere-se o quê? O verbo “inferir” exige um complemento (o que vem a seguir) e por isso não pode ter vírgula.

9 – Mais uma vez, o sujeito (“outros tipos de preencher as lacunas…”) não pode separar-se do predicado (“perderam o seu real valor”) com uma vírgula.

10 – Estas duas vírgulas têm de desaparecer, pois “relegar” (=afastar para outro lado) exige complemento e “elegível” também está colado à “lista de opções”.

11 – Novamente o erro n.º 1: sujeito não se separa do predicado por vírgula. Mas podemos incluir um complemento entre os dois, separando-o por vírgulas: “as pessoas, nos nossos dias, leem mais”

12 – Outra vez o erro 1

NOTAS

1 - 12 vírgulas a mais (estão sublinhadas) que cortam a ligação a palavras associadas à palavra anterior. Mais dois exemplos a evitar:
- O mundo de fraternidade, foi consumido …
- Os laços de indiferença, entre seres humanos.
2 – Duas concordâncias erradas.
A forma correta é:
- A maioria (singular) dos homens não consegue ……
- A maioria dos cidadãos sofre…
NOTA: a concordância faz-se com o nome principal.

António Henriques

Um comentário em “Melhorar um texto”

  1. Obrigado Professor António Henriques, a sua explicação está muito clara, e é perfeitamente entendível, contudo, percebe-se que surgem dificuldades na análise sintática, identificação dos grupos na oração. Penso que este pequeno texto também precisa de ser corrigido. Professor, obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.