Adeus até quando?

Aos alunos da “Oficina de Português”

Caros amigos, seria hoje o último encontro deste perturbado ano letivo, que na realidade terminou em 11 de março, na 16.ª aula. Graças a um minúsculo ser, ainda por cima invisível na nossa convivência dos dias, deixámos de poder estar uns com os outros semanalmente, nós que em setembro de 2019 escolhemos passar um tempinho juntos, à volta das questões da nossa bela língua.
Naturalmente, hoje era o dia das despedidas, com o desejo de boas férias a todos, embora alguns dissessem então que era melhor continuarmos as nossas conversas, pois elas seriam uma boa novidade semanal. Mas, de férias forçadas estamos nós há vários meses, graças ao ameaçador vírus Covid-19!

E agora que vai acontecer?

Pessoalmente, não vejo grandes hipóteses de termos um novo ano letivo normal. E são várias as razões que aduzo:
– Ninguém sabe como vai evoluir a situação epidémica, que de dia para dia nos traz surpresas nem todas agradáveis;
– As instalações em que nos movimentamos na Unisseixal não permitem adaptações capazes, proporcionais às exigências da Direção Geral de Saúde, de modo a sentirmo-nos em segurança sanitária; era necessário aumentar para o dobro ou o triplo esse espaço;
–  A Unisseixal é um projeto de voluntariado, em bom tempo criado pela Casa do Educador, que enferma de falta de recursos suficientes;
– Sendo quase todos nós pertencentes à chamada “população de risco”, não sabemos ainda como cada um vai reagir às novas condições de vida a que estamos forçados a aderir;
– Acrescem ainda, a somar àquelas, outras situações deficitárias que a idade nos traz. Pessoalmente, sinto-me por vezes “envergonhado” por não vos entender, mesmo depois de repetirdes as frases: oiço e não consigo discriminar os vossos sons, transformando-os em palavras. Ai os meus ouvidos, que nem com “muletas caras” desempenham a sua função!
– Alegra-me muito olhar para trás. O nosso blogue fez e faz história. E lá se encontram os vossos e os meus textos, resultado de esforço que a muitos deu orgulho e aquela alegria interior advinda de conquistas pessoais que doiraram os nossos dias… Ainda hoje o “Oficina de Português” provoca interesse a muitos por esse mundo fora. Nos últimos 7 dias, tivemos 612 visitas e 798 visualizações. Nos últimos 30 dias, contaram-se 3.180 visitas e 4.210 visualizações. Se olhamos para o último ano, os números são estes: 16.770 visitas e 23.420 visualizações. Foi obra, sem dúvida! Parabéns a todos!
– Estou a despedir-me antes das férias e a desejar a todos dias bonitos de descanso! Não sei se voltarei a dar aulas depois. Tenho de assumir todas as minhas realidades, que nem eu sei como serão daqui a uns meses.

– Mas gostei muito deste serviço à comunidade e gostei muito de vocês!

António Henriques

4 comentários em “Adeus até quando?”

  1. Caro António,
    Muito obrigado pela tua mensagem deixada nesse blog da nossa turma.
    Desejo tudo de bom para ti e também a todos da nossa turma Oficína de Portugûes. Gostei imenso das aulas e o contacto com os colegas.
    Eu viajei no dia 26 de Fevereiro de 2020 ao Brasil e uma semana depois começou a onda da pandemia Covid-19. Desde então estou no Brasil mais ou menos preso porque tinha mils planos de fazer viagens por aqui. Graças a Deus tudo está bem comigo aqui.🙏🙏 Também até agora não é possível de regressar a Portugal porque a TAP cancelou meu voo de volta do dia 31 de Maio de 2020, sem dar-me nenhuma justificativa. Portanto não sei quando posso voltar para Portugal.
    Gostaria de desejar a todos um ótimo verão com muita saúde e protejam-se 🙏!!
    Um forte abraço daqui do Brasil 😷👍🇱🇺🇵🇹🇧🇷
    João Carlos

    1. Caro amigo e aluno muito interessado, fico contente por saber que está bem de saúde. Mas fico triste por ver o Jan preso a um país martirizado pela pandemia do Covid-19, longe da sua casa e do seu ambiente preferido. Deus queira que tudo se resolva rapidamente e os transportes e a nossa vida diária voltem ao normal. Aqui no Seixal, também andamos com muito cuidado, em confinamento quase completo, pois à nossa volta, no território do concelho, já temos 512 infetados.
      Como digo no meu “Adeus…”, tudo está muito escuro em relação à abertura da Unisseixal. Vamos a ver como será. Em Agosto, talvez já esteja mais claro o caminho.
      Vamos vivendo a vida como pode ser, mais do que como desejávamos.
      Um abraço do António Henriques

  2. Gosto do texto do professor António Henriques, não fosse ele concebido por um Professor MAIOR !!! As pinceladas de emoção estão bem patentes no seu conteúdo, desenhadas em hipóteses e possibilidades!!! A turma é formada por meninas e meninos. O Professor é um menino Maior. As palavras são bolinhas atiradas pelo professor, que as meninas e meninos carinhosamente acolhem, sem as deixar cair no chão e tecem ainda com elas um universo de estrelas cintilantes, de esperanças, de certezas, de passadeiras verdes, que, em Outubro, conduzirão a turma ao “recreio” da Oficina de Português ! Não há despedidas e no próximo ano letivo, as meninas e os meninos “rebeldes”, cheios de entusiasmo responderão: presente ! As certezas, pesam muito mais, que as incertezas !!!
    Obrigado às/aos colegas, pela vossa amizade.
    Obrigado ao Professor António Henriques, pela amizade e transparência pedagógica.

    1. Não sei que resposta posso dar a este comentário. Obrigado, amigo! Mas vamos assumindo a nossa real condição neste tempo especial que tanto mexeu com cada um de nós. Ant. Henriques

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.