Dia da Mãe, de todas as Mães

Mãe querida, já não estás entre nós,
Mas, a cada dia que passa, sinto mais a tua falta,
A falta do teu carinho, a falta da tua voz,
A falta do mar de bonança que havia no teu olhar,
Dessa tua indulgência e sapiência,
E dessa tua forma especial de amar.

Cuidarei das rosas que deixaste por herança,
Nos tons vermelho, branco e amarelo,
As cores do amor, da paz e da esperança,
Que tu cuidavas com tanto desvelo.

Já não podes admirar a sua beleza
E sentir a sua delicada fragrância.
Hoje, serei eu que as vou deixar
Nesse lugar sagrado onde estás a repousar.
Talvez nas estrelas onde agora habitas,
Haja rosas como estas, tão bonitas,
E um belo e imenso jardim,
Para que tu cuides dele, assim,
Como cá na Terra cuidavas de mim.

Mãe, minha eterna saudade!

Conceição Tomé (São Tomé)

2 comentários em “Dia da Mãe, de todas as Mães”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.