Descobrir erro – há ou à

Hoje, 21/04/2020, em “Sapo 24” (notícia de MadreMedia / Lusa) aparece este texto manchado por um erro que muitos portugueses dão:

«…Nos últimos dias tem-se intensificado a polémica à volta do tema, com duas petições ‘online’ em sentido contrário: uma que pede o cancelamento da sessão solene no parlamento, lançada há vários dias, e que recolhia por volta das 11:00 de hoje mais de 106.000 assinaturas, enquanto outra que defende a celebração pela Assembleia da República, colocada ‘online’ no sábado, contava há mesma hora com mais de 24.000 subscritores, encabeçada por históricas figuras de esquerda como Manuel Alegre, do PS, Fernando Rosas, do BE, e Domingos Abrantes, do PCP….»

Entre as expressões sublinhadas, qual apresenta erro?

Resposta será dada amanhã. AH

22/04/2020 – E cá está a resposta em forma de comentário. Eu tenho alunos perspicazes. Vejam abaixo.

4 comentários em “Descobrir erro – há ou à”

  1. No mesmo tempo……..à mesma hora…. penso tratar-se de uma prep. e cont. / Há vários dias, verbo haver………
    Cumprimento o Prof. e os/as colegas.

    1. Sim, o Zé Fernandes descobriu o erro. E agora vamos explicar como se podem evitar estas falhas, que eu vejo mesmo em textos de professores.
      Vou simplesmente olhar para estas expressões, evitando referir-me a outros contextos para não complicar muito.
      1 – “há vários dias” é uma expressão em que se estão a contar unidades de tempo. O verbo haver pode ser substituído por “existem, contam-se, faz”;
      2 – “há mesma hora” é uma expressão diferente. Não se contam unidades de tempo, apenas se identifica o momento em que algo acontece.
      Aqui, não se pode substituir o “há” por “existe, conta-se, faz”. E então, se passarmos a expressão para o plural, tudo fica mais claro. Teríamos de dizer “às mesmas horas”! “À” é preposição “a” com o artigo “a”= à.
      E agora vejamos como fica expressão semelhante noutros contextos: “O João saiu daqui “há uma hora”, “há três horas”, há cinco dias”; aqui estamos a contar unidades de tempo, não estamos a identificar o momento da ação.
      Um dia destes voltamos ao assunto.
      António Henriques

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.