DO TEXTO EXPOSITIVO PARA O POÉTICO

Fomos surpreendidos pela rapidez e beleza que a Vitória Afonso imprimiu a este soneto, inspirado pela aula de ontem, em que se comentou o texto sobre estas esbeltas árvores já ínsito no blogue. Aqui ficam os parabéns do “professor”, sempre aprendiz com aqueles com quem vai convivendo. AH 

Fui com meu amor ver jacarandás
Que este jardim enchem de beleza
Com os tons harmónicos de lilás
Que invadem nosso espírito de leveza.

A buganvília exangue, pertinaz
Vê -se ultrapassada na beleza
O hibisco milita lá atrás
Exibindo sua rara gentileza.

Mas para mim não há competição
Há muito que os tenho no coração
Desde que li romances do Brasil.

Adoro o seu porte alto, imponente
Bendigo a sua cor elanguescente,
Seu chão atapetado de flores mil.

Maria Vitória Afonso

One comment on “JACARANDÁS – SONETO

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.