No Dia dos Namorados

Uma participação diferente neste Dia dos Namorados. Vamos distrair-nos! AH

Antipoema para o Dia dos Namorados

Há muito que fiz da açorda alentejana apaladada
O meu melhor poema para ti.
E do quotidiano da vida costumeira e passadia
O infinito dia dos namorados,
Complementado com a tarte de maçã que tu adoras
E os poemas metaforicamente vão surgindo:
Sobretudo ao adormecer com nossas mãos entrelaçadas
E com o teu cuidado em puxares os cobertores
Quando sonho poesia destapadamente.
Por que havia de dizer só hoje, dia 14,
Que admiro quotidianamente a tua lealdade
E recordo com carinho a memória de tua mãe
E o amor filial que lhe tiveste?
O meu melhor poema é lembrar-me
Que ainda hoje me cortas as unhas,
E me penteias melhor quando o faço desajeitadamente…
É também um poema de amor quando grito irada
Contra alguma tua admoestação e
Dou uma reviravolta no meu estado psíquico
E pronuncio meio irónica, meio amorosa:
ADORO O TEU MAU  FEITIO.
E finalmente escrevo um poema quando digo:
Quero morrer primeiro, porque sem ti não sei viver…
No dia dos Namorados  !!! Estas palavras…apenas ?!

Maria Vitória Afonso

————                    —————–                      ——————-

Sem namorado
Também tive namorados,
Hoje, não tenho nenhum.
Vivo só, por opção,
Porque o meu coração,
Escolheu viver sem um.
Desde manhã ao sol-posto,
Tenho a grata sensação,
De estar em contramão
Com a tristeza e desgosto.
Às vezes bate a saudade
Da ternura de um olhar,
Ter com quem dialogar,
Sem preconceito de idade.
Ao pensar na mocidade,
O tempo não volta atrás.
Mas, a minha felicidade,
Sou eu sozinha quem faz!
Conceição Tomé (São Tomé)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.