Na última aula da “Oficina de Português”, foi lido um pequeno texto de um sermão do Padre António Vieira. A simplicidade, a beleza e a sequência das palavras adaptadas ao contexto é impressionante.

Da obra vastíssima deste missionário jesuíta e conselheiro do rei D. João IV pouco li. Ele era padre, professor, filósofo e pregador sempre muito aplaudido pela força no dizer e pela subtileza dos conceitos; nos seus sermões, fazia críticas sociais severas, nomeadamente contra a corrupção e bateu-se pela dignidade da política. Tudo temas atuais, passados 400 anos.

Recordo uma frase de José Saramago que dizia assim: «Nunca a língua portuguesa foi tão bela como a que foi escrita por esse jesuíta.»

Aproveito também para lembrar que a expressão “sangue, suor e lágrimas” foi da autoria do Padre António Vieira e não de Winston Churchill, como erradamente lhe foi atribuída. Em Inglês diz-se: blood, sweat and tears.

Maria Irene Veiga

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.