Ler, sim, é bom

A minha relação com a  leitura

A aprendizagem dos mecanismos da leitura foi para mim uma benesse e um refúgio. Desde logo senti o seu fascínio, o qual acompanha e preenche algo de muito importante  na minha vida… E não a iniciei na escola.

Passei muito tempo da minha infância em casa do avô Generoso. E foi com  o  avô Generoso, em sua casa, que comecei a ler. Não me lembro  muito bem, mas foi com o avô que aprendi a descodificar os caracteres que indicavam os produtos comestíveis e bebíveis, café, leite. bacalhau, farinha amparo, batatas, vinho, etc.etc.. O avô, sem saber, estava a utilizar o método global muito fácil para crianças com boa memória.

Lembro-me perfeitamente das minhas primeiras leituras para as amigas que visitavam a avó. Na enorme casa de fora da moradia da avó Camila, extensa e ladrilhada (a cozinha era de terra batida que a avó regava com  o regador), a avó tirava a deca de cima de uma arca enorme que continha trigo. A deca, como o nome indica, era uma medida de dez litros usada para medir produtos secos. A avó tirava dela a rasoira e voltava-a  para  baixo e dizia-me:

“- Maria, como és pequena, sobes para cima da deca”.

Como era muito tímida, no primeiro dia chorei mas  a avó lá me convenceu. A avó disse: “a Maria vai ler para vocês a carta do meu sobrinho Aurélio”.

Era um duplo orgulho o da avó, que não sabia ler. O sobrinho era em Setúbal o alfaiate de maior prestígio e a neta sabia ler, ela que tinha um grande desgosto de não ter aprendido. Eu li corretamente  a carta para alegria da avó.

.Os primeiros livros que li encantaram-me pela magia das fadas e das princesas – A Branca de Neve e os sete anões e   O Pirata da Perna de Pau. Aos 12 anos comecei a escrever poesia.

A sedução da leitura continuou sempre: encantei-me com os romances de Júlio Dinis que li perto dos doze anos, Camilo, Eça deQueroós, José Cardoso Pires, adorei Balzac  pela irónica crítica social, Emile Zola, Roger Vaillant, o filósofo Jean Paul Sartre e Simone Beauvoir e muitos escritores de prémio Nobel, salientando o nosso Saramago.

Gosto também muito dos autores da nossa turma. Tudo o que escrevem no nosso blog me agrada muito,  incluindo os textos do professor.

Já tive o prazer de apresentar livros de poesia e romances. Quando me convidam faço uma leitura exaustiva e acho que consigo fazer  uma análise pormenorizada da maneira como os escritores dominam a trama.

Enfim sou feliz porque a leitura preenche grande parte da minha vida.

Maria Vitória Afonso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.